domingo, 15 de janeiro de 2012

REFLEXÕES ESPÍRITAS: Entendendo a PARÁBOLA DOS TALENTOS

 
Capítulo 16 de “O Evangelho Segundo o Espiritismo” de Allan Kardec – Não se pode servir a Deus e a Mamon, item 6 – Parábola dos Talentos – também em Mateus, capitulo 20:14-30.

Vejamos como os dicionários definem o verbete parábola: narração alegórica que encerra doutrina moral em seu conteúdo. É uma estória simbólica, comparativa, sob a qual se esconde uma verdade importante e que conclui um preceito moral ou regra de conduta a ser seguida num determinado caso”.
 
As parábolas foram usadas como RECURSO PEDAGÓGICO por Jesus, que, Mestre Excelente, as narrou conforme o entendimento do público que o ouvia. Elas encerram porém, conhecimentos espirituais de profundidade que a cada leitura e releitura se revelam ao nosso discernimento enriquecendo nossa alma com lições preciosas.
Examinemos os elementos simbólicos dessa Parábola:

O SENHOR QUE VIAJOU = DEUS, Senhor de nossas vidas.
 
O PERÍODO DA VIAGEM, = é a vida humana, a reencarnação, em que Deus nos entrega ao planeta para que multipliquemos os dons que já conquistamos com nossas experiências anteriores pelas bençãos divinas a nosso favor...

OS 3 SERVOS = representam a humanidade em evolução.

O SERVO que recebeu mais e multiplicou seus talentos, é o mais preparado espiritualmente, mas que nem por isso deixou se aplicar seus bens ampliando suas capacidades.

O SERVO que recebeu dois talentos é ainda o homem bom, que já aprendeu a aproveitar as chances de fazer crescer suas virtudes valorizando a oportunidade da vida.

O SERVO TEMEROSO que enterrou o único talento que recebeu com medo e indolência representa os homens imperfeitos – como nós – que ao contrário de usarmos o único talento que possuímos – O DOM DA VIDA – para crescermos espiritualmente, enterramos essa capacidade nas sensações e disputas materiais (lembremos, enterrar no solo = mergulhar na matéria...).

Os TALENTOS são os bens e recursos materiais e espirituais que o Plano Espiritual outorga aos homens, para serem empregados em benefício próprio e do próximo; é tudo o que é necessário às experiências evolutivas do homem: os bens materiais, os dons espirituais, os conhecimentos, a posição social, a família, etc...

TREVAS E RANGER DE DENTES: é o resgate de nossas faltas. Dos desperdiceis que fizemos dos dons da vida. A lei da reencarnação explica que se usamos mal nosso INTELECTO por exemplo, prejudicando e semeando o mal ao invés de ESCLARECER E EDUC AR, podemos voltar com essa faculdade impedida... a fim de PELA DOR aprendermos a valorizar as oportunidades.

MAIS UMA VEZ: TREVAS E RANGER DE DENTES: é o resgate de nossas faltas. Dos desperdiceis que fizemos dos dons da vida. A lei da reencarnação explica que se usamos mal nossa CAPACIDADE DE PERDOAR, por exemplo, SEMEANDO RANCOR E MÁGOA, VINGANÇA E DESPEITO, ao invés de perdoar, esclarecer e esquecer usando a COMPAIXÃO E A INDULGÊNCIA podemos voltar em um ambiente cheio de desavenças e incompreensão, onde recolheremos o preconceito e as vinganças mesquinhas que usamos no passado, a fim de através da DOR aprendermos a valorizar as oportunidades.

E NOVAMENTE: TREVAS E RANGER DE DENTES: é o resgate de nossas faltas. Dos desperdiceis que fizemos dos dons da vida.

A lei da reencarnação explica que se usamos mal nossa CAPACIDADE AFETIVA, O RESPEITO E A FIDELIDADE MATRIMONIAIS, por exemplo, praticando ADULTÉRIO E TRAIÇÃO, retornamos ao palco da vida em relações afetivas defecais, cheias de incompreensão e traições, onde sofremos A DOR DA SOLIDÃO E A ANSIA DO AMOR jamais correspondido, para que saibamos valorizar e respeitar nossos cônjuges.

E AINDA: TREVAS E RANGER DE DENTES: é o resgate de nossas faltas. Dos desperdiceis que fizemos dos dons da vida. A lei da reencarnação explica que se usamos mal nosso CORPO, templo de nosso espírito imortal, praticando todos os tipos de ABUSO CONTRA A PRÓPRIA SAÚDE, violando nosso organismo com exageros, substâncias tóxicas, vícios e sensualidade desenfreada, por exemplo, retornamos à vida com o corpo debilitado, com problemas os mais variados que nos imporão uma dieta e conduta restritiva para que possamos sobreviver e, dessa maneira, aprender a valorizar o abençoado casulo de carne que nos aprisiona e nos liberta, servindo de escola para nosso espírito.

TREVAS E RANGER DE DENTES: é o resgate de nossas faltas. Por exemplo, do mau uso que fizermos de nossos sentidos:

Mau uso da VISÃO criticando e enxergando o mal e a malícia em toda parte.

Mau uso da AUDIÇÃO, semeando e dando ouvidos às intrigas, mentiras, tramas, e fofocas... Com messes abusos voltamos em outra vida com esses sentidos diminuídos pela miopia, pela surdez total ou relativa ou ainda com patologias como a labirintite, otites, etc. A vida nos educa com a restrição pra que valorizemos os talentos no futuro.

O grande questionamento a que o sublime professor que foi Jesus nos convida a fazer é: O que temos feitos dos talentos que o Senhor da Vida nos confiou?

O que tens feito dos afetos que DEUS confiou aos seus cuidados no lar? O que tem oferecido a eles de amor e de exemplos dignificantes?

O que temos feito da saúde de nosso corpo? Consumido nossa energia vital em excesso de todo tipo ou aplicado as forçar orgânicas no aprendizado, no auxílio ao próximo e na conquista da sabedoria e da humildade?

O que temos feitos das chances diárias de praticar a CARIDADE? Quantos de nós TEMOS TUDO e nos falta alegria, esquecidos de que a nossa alegria é construída das pequenas alegrias que provocamos na vida do OUTRO?

Sua voz, seu pensamento, sua expressão, sua casa, sua roupa, seu corpo, sua capacidade de expressão neste momento estão sendo mobilizados na direção da construção do EU MELHOR ou ainda vivemos para curtir, gozar, experimentar até a exaustão da razão e dos sentidos?

Há homem ou mulher de talento que você é! Bilionários de bênçãos... o que temos construído na comunidade, na oficina de trabalho, na vizinhança para melhorar nossas relações com o próximo? AMIZADES ou INTRIGA? PARCEIROS ou ADVERSÁRIOS?

O que você tem feito com o seu computador? Desperdiçado a chance de se comunicar na busca incessante de prazeres de meia hora ou  construído relações sólidas baseadas na amizade e no respeito?

O que temos feito de nosso SEXO? Mobilizamos a força criativa a favor de nosso revigoramento energético na construção do bom e do belo ou estamos mergulhando na estagnação das forças, candidatos à depressão, ao Alzheimer, ao Parkinson e as fobias?

O QUE VOCÊ TEM FEITO COM O AMOR DE DEUS? ENTERRADO NO BURAQUINHO NO QUINTAL OU MULTIPLICADO POR MIL AO REPARTIR AS BENÇÃOS DA VIDA COM OS QUE TE CERCAM?

O grande ensinamento dessa parábola é fazer ver os homens que cada qual só subirá na escala evolutiva rumo aos planos espirituais elevados, através do esforço individual, da perseverança no BEM e no amor ao próximo.

Para saber mais, sugerimos a leitura do livro LEIS DE AMOR de autoria espiritual de Emmanuel, psicografia dos médiuns Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira - Edições Feesp.


4 comentários:

  1. Muito útil. Bem claro na explicação da Parábola. Eu estava a procura destes esclarecimentos para apresentar um estudo no dia 20/05. Deu-me todo entendimento para elaborar meu estudo. Parabéns por estar usando bem seus talentos.

    ResponderExcluir
  2. Também gostei muito da clareza na explicação da parabola!
    Texto curto mas de profunda reflexão!
    O que temos feito de nossos talentos?

    ResponderExcluir
  3. Muito bem explicado!!! Esclare muito o sentido da parábola!!!! Obrigada

    ResponderExcluir
  4. Excelente estudo. Tomo a liberdade de colocá-lo nos meus estudos para a fala desse parábola em dia de minha palavra junto ao Centro Espírita que frequento. Excelente esclarecimento, trazendo para os dias de hoje esses ensinamentos tão belos.....

    ResponderExcluir